Paixões

  • amor, bolinhas de sabão, o som de copos com água, o som das gotas no chão, sorrisos tímidos, a música por trás dos ruídos, um coração encostado no outro, um ou dois para sempres, aviãozinho nas mãos de um menino, barquinhos de papel, pipa atravessando as nuvens, mingauzinho de aveia, meias listradas, cata-ventos, palavras inventadas, andar descalça, andar na chuva, reuniões com os amigos cheias de risadas, dançar e cantar em frente ao espelho, beijar, dar e receber abraços, familia, amigos de verdade, musica, skate board, gorrinhos coloridos, fotografia, viajar, bahia, natureza, jogar bilhar, cerveja, cachoeira, barro/lama, poesias, caminhar na madrugada com amigos e falar muita merda, escrever, ler, comer - e muito -, tocar air guitar, sorrir, cócegas, piadas sem graça, animais de um modo geral, chiclete, sarcasmo, andar só de calcinha e sutiã em casa, agua, meus livros, meus cds, meus dvds, pessoas desapegadas, tatuagens, piercings, alargadores, suco de laranja, manga, dormir de conchinha, girias idosas

PUXE UMA CADEIRA, SENTE-SE AO MEU LADO, E CONTE-ME SUA MELHOR HISTÓRIA

quinta-feira, 28 de maio de 2009

aos trinta e quatro


Decidiu que era o momento certo.

A hora certa.
Chegou em casa mais cedo, e quis se enfeitar.
Ela queria ser notada, se sentir bem.
Despiu-se, entrou na banheira -digna de filmes da tela quente-, apertou o botão do player do toca cd's e tomou um demorado banho de espuma.
Algumas vezes durante o banho se pegou cantando, desafinava, e por algumas vezes conseguia alcançar uma nota, e se sentia bem.
Não era muito boa no inglês, mas decorou cada uma das canções de Kurt Cobain, só pra sentir o prazer de cantar com ilustre pessoa.
Ela algumas vezes, se permitia-se afundar na banheira contar até três e rotarnar a superficie.
E três era o máximo, pois de seus 34 anos, 20 foram dedicados inteirinhos aos milhares de maços de Gudam Garam e Carlton Red, seus amigos, os preciosos vinte amigos.
Qaundo ela percebeu que os dedos da mão estavam todos enrrugados decidiu que era hora de sair, ela saiu do banho, se secou e ainda despida quis analisar o corpo nú.
Depois disso se sentou em frente a penteadeira, olhou seu rosto.
Pensativa ainda abriu o closet, escolheu roupa e sapato.
Se vestiu, voltou a penteadeira, escovou os cabelos, passou maquiagem e percebeu que finalmente gostava do que via.

Ninguém sabe como foi, mas naquele dia, ela se amou.

1 comentários:

Fóssil disse...

Lembrei da "Valsinha" de Vinicius... adorei seu blog. Descobri na comunidade da Rita Apoena =)