Paixões

  • amor, bolinhas de sabão, o som de copos com água, o som das gotas no chão, sorrisos tímidos, a música por trás dos ruídos, um coração encostado no outro, um ou dois para sempres, aviãozinho nas mãos de um menino, barquinhos de papel, pipa atravessando as nuvens, mingauzinho de aveia, meias listradas, cata-ventos, palavras inventadas, andar descalça, andar na chuva, reuniões com os amigos cheias de risadas, dançar e cantar em frente ao espelho, beijar, dar e receber abraços, familia, amigos de verdade, musica, skate board, gorrinhos coloridos, fotografia, viajar, bahia, natureza, jogar bilhar, cerveja, cachoeira, barro/lama, poesias, caminhar na madrugada com amigos e falar muita merda, escrever, ler, comer - e muito -, tocar air guitar, sorrir, cócegas, piadas sem graça, animais de um modo geral, chiclete, sarcasmo, andar só de calcinha e sutiã em casa, agua, meus livros, meus cds, meus dvds, pessoas desapegadas, tatuagens, piercings, alargadores, suco de laranja, manga, dormir de conchinha, girias idosas

PUXE UMA CADEIRA, SENTE-SE AO MEU LADO, E CONTE-ME SUA MELHOR HISTÓRIA

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Abraçe a sua loucura antes que seja tarde demais.

Preta, eu adoro esse seu jeito único de ser. Enquanto estou em casa, ou mesmo na rua sentada no banco da praça vendo as pessoas passarem por mim e lembro-me de ti, sorrio e começo a fazer algo. Não algo revolucionário para o mundo, mas para mim. Levanto e esqueço de todos esses problemas que para mim criei, vou na chuva e começo a rir e rir sem parar, sinto-me tão bem por saber que existem pessoas como você, pessoas que por mais que a vida queira derrubar, a mesma desiste. Pessoas como você não deixam de rir e viver a cada tropeço, de algum jeito sabem tirar proveito e não se tornarem pessoas frias e anti-sociais e é por isso, por você ser nada mais do que você mesma, que eu te amo tanto.
escrito por rezitcha, 27/04/2009

2 comentários:

Michele Hubner disse...

tem lugar pra mim nesse trem?

Mariana disse...

Eu gosto de ir para a praça, sentar num banco e escrever.
Uma vez tomei aulas de musica na praça e gostei muito porque foi uma forma diferente ao convencional.